Fechar
Buscar no Site

Suspeita de ação política no ataque cibernético ao seletivo inédito da Saúde

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) e a Secretaria de Segurança (SSP) já descobriram o ‘IP’ do computador de onde partiram os ataques

Uma fonte governista envolvida diretamente nas investigações do ataque cibernético ao processo seletivo para o cargo de diretor administrativo de unidades da rede estadual avaliou, neste sábado (12), em contato com O INFORMANTE, que pode ter havido “um ataque político, com o intuito de desmoralizar o governo e a Secretaria da Saúde, num seletivo nunca feito no Maranhão, aberto para todos os profissionais qualificados”.

A fonte acrescentou que as investigações sobre o caso – que provocou a anulação do processo seletivo, na quinta (10) – estão avançadas e a equipe da Saúde, em parceria com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), já descobriu o IP (Internet Protocol) do computador de onde partiu o ataque. O IP é único para cada computador. É uma espécie de ‘RG’ da máquina. Com a identificação do endereço do IP, pode-se chegar ao nome do usuário.

De acordo com a SES, um outro edital do seletivo será lançado, buscando um sistema mais seguro, a fim de não expor os dados dos participantes.

Uma das vertentes investigadas é que o ataque ao sistema da SES consistiria em inscrever pessoas falecidas (com CPFs inativos), com alta qualificação, que conseguiria ser aprovada com uma nota expressiva, e em consequência, quando saísse o resultado, apareceriam na relação dos aprovados os nomes dessas pessoas mortas, o que desmoralizaria a SES e o governo.

Segundo a fonte ouvida por O INFORMANTE, foram identificados até sexta (11), de dois a três ataques ao sistema. (Oswaldo Viviani)

 

NOTA DA SES SOBRE OS ATAQUES CIBERNÉTICOS

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que, em razão de um ataque cibernético sofrido pelo sistema de inscrições, que comprometeu a segurança dos dados, o Processo Seletivo para cargo de diretor administrativo de unidades de saúde da rede estadual foi anulado.
Além da anulação do certame, a SES encaminhou à Polícia Civil todas as informações para instauração do devido Inquérito Policial e demais providências cabíveis para apuração da criminosa tentativa de corromper o Processo Seletivo.
A tentativa de fraude se deu, a princípio, por meio da inscrição maciça de pessoas fictícias, cujo número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) aponta como inexistente. Nos últimos quatro anos, a Secretaria realizou concursos e seletivos para contratação de profissionais da saúde sem nenhum registro de tentativa de fraude.
A reabertura do certame e a nova data para inscrições, com um novo sistema que garanta maior segurança aos dados cadastrados pelos concorrentes, serão divulgadas o mais breve possível.

 

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias