Fechar
Buscar no Site

Senadores temem que Alcolumbre deixe posição de autonomia em relação a Bolsonaro

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o presidente Jair Bolsonaro - Pedro Ladeira/Folhapress

2

O Senado volta do recesso nesta segunda (5) sob expectativa em relação à postura que o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), terá a partir de agora com o governo de Jair Bolsonaro.

Parlamentares de oposição temem: “Há um receio de que ele abandone a posição de maior autonomia em relação ao presidente”, diz o líder da oposição, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), conterrâneo de Alcolumbre e um dos articuladores de sua vitória para presidir o Senado.

Um dos sinais de que isso possa ocorrer teria sido emitido pelo próprio Bolsonaro: na semana passada, ele suspendeu duas indicações para o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A leitura é que fez isso para permitir que Alcolumbre e outros senadores escolham os nomes para compor o colegiado.

As principais pautas dos próximos meses vão tramitar no Senado —como a reforma da Previdência. Já nas primeiras semanas a Casa vai decidir se Eduardo Bolsonaro pode ser embaixador nos EUA, como quer o pai, e terá que referendar —ou recusar— o nome que o governo indicar para a PGR -Procuradoria-Geral da República. (Monica Bergamo – Folha)

 

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias