Fechar
Buscar no Site

Renan retira candidatura e diz que Davi é Golias

O senador Renan Calheiros acaba de retirar sua candidatura a presidente do Senado. Declarou que Davi Alcolumbre é o novo presidente do Senado. “O nome dele é Davi, mas o que se vê aqui é que ele é o Golias”, disse Renan.

Os senadores estão continuando a votação.

O senador Roberto Rocha afirmou que Renan jogou a toalha depois que o PSDB anunciou fechamento de questão para mostrar o voto.

plenário do Senado vaiou quando Renan disse que o processo não era democrático e retirou a candidatura.

Segundo parlamentares, Renan retirou sua candidatura ao perceber que não teria votos suficientes para vencer neste sábado.

O estopim foi a decisão da bancada do PSDB de mostrar a cédula de votação na segunda votação. Renan alimentava a esperança de ter votos nessa bancada.

O processo de votação continua em curso, por ora, mas há pedidos de que haja uma terceira votação, já que senadores já haviam votado.

Renan saiu do plenário do meio da votação, sem falar com a imprensa.

“Não há mais objeto da eleição”, disse o senador alagoano, no discurso em que acusou os adversários de fazer uma eleição antidemocrática.

Flavio Bolsonaro acabou, diferentemente do que fez na votação anterior, abriu o voto, seu presidente! Este processo não é democrático”, disse Renan. Nos bastidores, aliados afirmavam esperar o voto de Flávio Bolsonaro, que pode ser alvo do Conselho de Ética devido às investigações sobre movimentações suspeitas em sua conta e de seu ex-assessor.

“Esse Davi não é um Davi, é um Golias”, afirmou, Renan, dizendo que o próximo presidente do Senado é Davi Alcolumbre.

Ele foi vaiado durante seu discurso.

“O filho do presidente fez questão de abrir o voto”, protestou Renan.

Tudo o que havia na primeira votação poderia ter acontecido na segunda. O que não podia era o PSDB, na segunda, abrir o voto” afirmou, dizendo que tinha 4 votos na legenda.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias