Fechar
Buscar no Site

Quase 100 mil empregos serão criados com a construção da Estrada de Ferro do Maranhão, indicam dados da ANTT/Minfra

Foto: Reprodução

 

A alguns dias de reassumir o Palácio dos Leões, o governador Carlos Brandão recebe uma notícia auspiciosa. Dados da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), com base em metodologia usada pelo BNDES para quantificar impactos de investimentos no emprego, indicam que praticamente 100 mil postos de trabalho diretos e indiretos serão criados no Maranhão unicamente pela ferrovia EF-317 (Ferrovia do Maranhão), que ligará Açailândia a Alcântara e que já tem autorização do governo federal para ser construída pela empresa Grão Pará Multimodal. Cem mil empregos representam quase 20% da mão de obra maranhense hoje no Caged: 534 mil empregados com carteira assinada
A boa notícia já está sendo comemorada, também, pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Programas Estratégicos do Estado, José Reinaldo Tavares.
Junto com o ex-governador José Reinaldo, o governador Brandão é o principal impulsionador da EF-317.
Nessa quarta-feira, 8, esteve em São Luís para uma palestra em Congresso da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) o superintendente da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Ismael Trinks, que trabalhou como secretário de ferrovias do ex-ministro dos Transportes Tarcísio de Freitas. Foi a equipe de Trinks que esteve envolvida em Brasília no processo que resultou na autorização para construção do trecho da estrada de ferro Açailândia – Alcântara, no Maranhão.
Ismael Trinks esteve também na SEDEPE, onde conversou com o secretário José Reinaldo Tavares sobre a ferrovia que será construída pela Grão Pará Multimodal.
Com um investimento de 5,3 bilhões e indicação de criação de 99 mil e 510 empregos diretos e indiretos, a EF-317 terá 520 quilômetros de extensão.
O status da ferrovia, hoje, é de fase final do projeto conceitual e iniciando processo junto à SEMA (Secretaria de Meio Ambiente) para obtenção da LP (Licença Prévia), conforme dados da ANTT.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias