Fechar
Buscar no Site

Prisão de filho de prefeito com carga de cigarros avaliada em R$ 1 milhão pode ter conexão com quadrilha desbaratada

Jefferson Portela reagiu fortemente a vídeo de Edilázio com Eduardo Bolsonaro

A prisão do jovem Domingos Foicinha Neto, de 23 anos, filho adotivo do prefeito de Apicum Açu, Cláudio Luís Lima Cunha (PV), com uma carga de cigarros avaliada em R$ 1 milhão, pode ter conexão com a quadrilha de contrabandistas desbaratada recentemente pela Polícia Civil do Maranhão. Todas as informações sobre esse caso já estão sendo repassadas para a Justiça Federal, que está assumindo o cargo a partir da decisão desta terça-feira do juiz Ronaldo Maciel.

Domingos Neto foi preso em companhia de Rodolfo Romero Ferreira Oliveira, 26 anos, no dia 12 de fevereiro de 2016, na cidade de Cururupu, durante uma operação realizada pela Polícia Militar do estado. Com eles, a polícia apreendeu um Ford Fiesta sedan e dois caminhões carregados de cigarros contrabandeados. A carga continha 24 mil e 400 caixas de cigarros e foi avaliada em mais de R$ 1 milhão.

Durante depoimento, Rodolfo Romero afirmou ser filho adotivo do prefeito  de Apicum-Açu, Cláudio Luís Lima Cunha (PV), e que os dois caminhões utilizados no contrabando eram alugados para a Prefeitura. Cláudio Cunha elegeu-se em 2008 e reelegeu-se em 2016.

A dupla presa não afirmou qual seria o destino da mercadoria; apenas afirmou terem sido contratados por um homem conhecido como ‘Dico’.

Logo que foram presos, os dois jovens entraram em contato com três advogados. Ficaram presos por menos de uma semana.

A carga apreendida, os dois caminhões e o Fiesta foram levados para a Delegacia de Polícia de Cururupu.

Como pode haver conexão entre os dois casos, a Secretaria da Segurança Pública, por meio do secretário Jefferson Portela, segundo uma fonte da própria SSP, está repassando todas as informações para a Justiça Federal, agora encarregada do processo.

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias