Fechar
Buscar no Site

Poeta maranhense entra na disputa por uma vaga na Academia Brasileira de Letras

Salgado Maranhão enviou carta aos acadêmicos

 

Em carta aos acadêmicos, o poeta maranhense Salgado Maranhão, 67 anos,  diz que pretende se apresentar como candidato a uma das vagas  na Academia Brasileira de Letras.

Diz que dois  fatores confluem para esta decisão: “um sonho de pertencimento há muito acalentado; e o caloroso incentivo de alguns membros dessa Casa”.

As eleições devem ocorrer  nos dias 4, 11, 18 e 25 de novembro. Entre os cotados, Fernanda Montenegro, Paulo Niemeyer, Gilberto Gil e Paulo Cavalcanti.

Leia a carta na íntegra de  Salgado Maranhão ao imortal Antônio Cícero:

“Rio de janeiro, 19 de julho, de 2021.

Ilmo. Escritor e Acadêmico

ANTÔNIO CÍCERO

Em face do surgimento de novas vagas na Academia Brasileira de Letras — mesmo não abertas aos concorrentes –, pretendo apresentar-me como candidato a uma delas, no momento oportuno. Dois fatores confluem para esta decisão: um sonho de pertencimento há muito acalentado; e o caloroso incentivo de alguns membros dessa Casa.

Mais do que uma atividade criativa, a poesia em minha vida ocupa uma função vivamente libertadora: na dura realidade da qual sou egresso, cantar era uma forma de amanhecer. Até aqui, esta intensa trajetória de quatro décadas, deu-me mais do que eu supunha. São quinze livros e alguns prêmios relevantes, entre os quais o Jabuti – duas vezes — e o prestigioso Prêmio de Poesia da ABL, de 2011, que muito me orgulha.

Tudo isto, proporcionou versões dos meus poemas em vários idiomas, tais como o árabe, o francês, o espanhol, o italiano, o japonês e o inglês (nos últimos dez anos visitei, como palestrante, mais de noventa universidades, nos EUA, onde tenho cinco livros traduzidos).

Permita-me ainda destacar uma curiosa efeméride: a nobilíssima tradição da Casa de Machado sempre foi permeada de autores maranhenses (havia cinco na sua fundação). Não nego que este fato povoa meu imaginário desde a minha adolescência nordestina, quando num gesto de ousadia juvenil, firmei correspondência com meus conterrâneos Josué Montello e Odylo Costa, filho. Portanto, ficarei enormemente honrado se minha pretensão merecer o seu acolhimento. Com a melhor admiração e estima,

Salgado Maranhão”.

(O Globo)

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias