Fechar
Buscar no Site

PF vai usar drones para combater práticas criminosas nas eleições do Maranhão

Drones vão auxiliar os policiais federais na identificação de práticas criminosas, durante as eleições (Foto: Gilson Ferreira)

A Polícia Federal (PF) vai utilizar drones para fiscalizar as eleições em São Luís e no interior do Maranhão. De acordo com o delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Leandro Ribeiro, o objetivo é ajudar na prevenção e repressão aos crimes eleitorais.

“A utilização dos drones está dentro de uma diretriz da direção geral da PF de recursos tecnológicos, que possibilita uma visão melhor de todo o panorama, e soma com o nosso efetivo de policiais”, informou Leandro Ribeiro.

Segundo o delegado regional da PF, os drones vão sobrevoar as zonas eleitorais e ajudar a combater crimes como boca de urna. Os equipamentos trazem tecnologia de ponta e são capazes de tornarem-se imperceptíveis ao voar em elevada altitude. As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da Polícia Federal que, em caso de atividades suspeitas, adotará medidas necessárias para combate ao crime.

“O drone, quando está em grande altitude, as pessoas não conseguem perceber a presença deles, mas o aparelho tem um zoom poderoso, que identifica pessoas e placas de veículos. Detectando alguma irregularidade, as equipes se deslocarão para o local do flagrante. E essas imagens vão fortalecer a autoria da prática criminosa”, destacou Leandro.

A ação acontece em todos os estados do país. Serão utilizadas 100 aeronaves em municípios estratégicos em todo o território nacional. No entanto, a PF ainda não divulgou quantos drones serão usados no Maranhão.

O primeiro turno das eleições é no dia 15 de novembro. Caso haja necessidade, o segundo turno ocorre no dia 29. Em 2020, para evitar aglomeração por conta da pandemia de Covid-19, houve ampliação no horário da votação. Os eleitores podem ir às urnas a partir das 7h. A votação se encerra às 17h.

Por: Luciene Vieira

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias