Fechar
Buscar no Site

Pastor ligado a Sarney fica com principal cargo na Secretaria de Esporte de Bolsonaro

Pastor ligado a Sarney fica com principal cargo na Secretaria de Esporte

O blog “Olhar Olímpico”, do jornalista Demétrio Vecchioli, informou ontem (4) que ministro da Cidadania, Osmar Terra, escolheu o pastor evangélico neopentecostal João Manoel Santos Souza, filho do ex-senador João Alberto Souza e irmão do deputado federal João Marcelo Souza (todos os três do MDB-MA e ligados à família Sarney), para ser o secretário Nacional de Esporte de Alto-Rendimento (SNEAR). Ele foi uma indicação da bancada do Nordeste do MDB na Câmara dos Deputados.

O cargo é o mais importante dentro da secretaria de Esporte (antigo ministério), porque é o que tem mais visibilidade. Cabe ao secretário da SNEAR, como a pasta é conhecida, direcionar os recursos para eventos realizados no Brasil, gerir a Lei de Incentivo ao Esporte, o Bolsa Atleta e tratar das relações com comitês como o COB e as confederações

Na mesma quinta, o “Olhar Olímpico” publicou que tudo caminhava para Celso Giacomini (MDB-RS) ser mantido no cargo. Ele foi o secretário durante a gestão de Leandro Cruz (MDB-RJ) no ministério, no ano passado, e tem como padrinho político o também deputado federal Darcísio Perondi (MDB-RS). Vice-líder do MDB na Câmara, Perondi está na Câmara como suplente de Osmar Terra e é seu amigo de muitos anos.

Mas tudo mudou ao longo do dia em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deixou de lado a “nova política” e recebeu caciques de diversos partidos do chamado “Centrão”. Entre eles, Romero Jucá, do MDB. E foi exatamente a bancada do MDB, principalmente os deputados do Nordeste, que defendeu o nome de João Manoel Santos Souza.

Uma apuração preliminar do “Olhar Olímpico” não encontrou qualquer ligação entre João Manoel e o esporte. Ele é pastor de da igreja evangélica neopentencostal Jesus Vive.

Em outubro, João Manoel foi segundo suplente da chapa ao Senado de Sarney Filho (PV-MA), filho de Sarney. Eles não se elegeram.

O secretário da SNEAR terá função importantíssima nos próximos dias. Será ele quem assinará, ou não, a renovação do certificado de que o COB cumpre as exigências da Lei Pelé. O certificado vence nesta sexta (5) e, sem esse documento, é obrigação da SNEAR informar à Caixa Econômica Federal para que ela suspenda os repasses da Lei Agnelo/Piva. O COB não tem a documentação necessária para tirar o certificado.

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias