Fechar
Buscar no Site

Parlamentares do MA debatem com ministro investimentos para a Base de Alcântara

Equipe do ministro Marcos Pontes reunida, por videoconferência com parlamentares da bancada do Maranhão

Gil Maranhão

Deputado e senadores da Bancada Federal do Maranhão no Congresso Nacional participaram de uma videoconferência, nessa terça-feira (26), com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, para tratar de investimentos no Centro Espacial de Alcântara (CEA)
O ministro pediu apoio na alocação de recursos de emendas de bancada para mais uma etapa do Programa de Desenvolvimento Integrado para o Centro Espacial de Alcântara (PDI-CEA). O programa consiste no desenvolvimento da infraestrutura e educação na região, desde o ensino fundamental ao ensino técnico, visando à capacitação da comunidade e formação tecnológica para que a base maranhense seja viável e sustentável economicamente.
O ministro pediu apoio principalmente para duas áreas prioritárias do PDI-CEA: melhoria da infraestrutura da área do Centro Espacial e educação e capacitação técnica dos moradores de Alcântara. “Precisamos envolver a comunidade nesse projeto. É preciso levar educação para crianças e adolescentes, e também oferecer capacitação técnica para formar profissionais locais”, afirmou.
MINISTRO DEFENDE CONSTRUÇÃO DE PORTO – No setor de infraestrutura, o ministro destacou que é importante a ajuda da bancada para conseguir recursos para investir na construção de um porto, de forma a facilitar a travessia de Alcântara para São Luís, entre outros benefícios. “Temos uma oportunidade de mudar a história das atividades espaciais no país. E quanto mais a gente evolui nesse plano e começa a mostrar o centro de Alcântara, mais despertamos o interesse de empresas internacionais”, reforçou Marcos Pontes.
O ministro ainda agradeceu a participação dos parlamentares do Maranhão na aprovação do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST),primeiro passo para o desenvolvimento de ações para o uso comercial da base de Alcântara. O PDI-CEA é a segunda fase, após a ratificação do AST, assinado entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos, aprovado em novembro de 2019 pelo Congresso Nacional.
QUILOMBOLAS – O coordenador da bancada, Marreca Filho, colocou-se à disposição, e também todo o colegiado, “no que for preciso para ajudar o programa e trazer desenvolvimento, geração de emprego e renda e uma nova realidade para a região”.
Marreca Filho também destacou a situação dos povos quilombolas que ficam no entorno do Centro Espacial de Alcântara. “Queremos o desenvolvimento deste projeto, que o sonho saia do papel, mas que sejam respeitados os direitos daqueles que vivem ali, os quilombolas”, acentuou. Em relação a essa questão, Pontes garantiu ser contrário à ideia de retirada contra a própria vontade, e defendeu um acordo comum com a comunidade e o incentivo ao desenvolvimento das agrovilas, de forma a melhorar a qualidade de vida em outras áreas.
O senador Weverton (PDT/MA) ressaltou que projeto tem tudo para dar certo e conta com o apoio total da bancada maranhense. “Nossa bandeira é o Brasil, é o Maranhão. A base de Alcântara é um potencial enorme de negócio aeroespacial que vai trazer um desenvolvimento qualitativo para o Estado.”
Da reunião virtual participaram os deputados federais Juscelino Filho (DEM), Gil Cutrim (PDT), Hildo Rocha (MDB), Bira do Pindaré (PSB), Pastor Gil (PL) e Edilázio Junior (PSD), e o senador Weverton Rocha (PDT), além de secretários e assessores do MCTI. (Com informações da assessoria e do MCTI)

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias