Fechar
Buscar no Site

O relato de Eduardo Lago sobre uma história que poderia ter mudado o mundo e as Américas

 

O impasse da emenda impositiva entre deputados da bancada federal maranhense e o Governo do Estado, que pode resultar numa perda de R$ 247 milhões e a ‘deliciosa’ história, da renúncia que mudou a América, relatada pelo ‘nosso’ Eduardo Lago, pai do atual presidente da Emap, Ted Lago, são os principais assuntos do Colunaço do Pêta deste domingo, 03. Um detalhe poderia ter mudado o mundo e as Américas. E tem ainda os Mistérios intrigantes de “Dona Milu”, como esse: “Qual é o secretário que, infantilmente, está criando um clima adverso contra ele próprio, ao dar importância desnecessária a noticiário de blogs sem credibilidade???!!! Parece que bebe”!!! Boa leitura!

COLUNAÇO DO PÊTA – 02.11.2019

PETINHADAS –

*** E continua o impasse na bancada federal maranhense, correndo o estado o risco de perder 247 milhões de reais!!! Pois é…, a nossa bancada no Congresso Nacional não chegou a entendimento sobre destinação de emenda de 247 milhões para o Maranhão!!! Os recursos são para aplicação na saúde, construção e recuperação de rodovias federais, internet em mais de 400 escolas, além de outros itens na educação e preparação de projetos!!!
Os três senadores (Roberto Rocha, Weverton Rocha e Eliziane Gama) e 10 deputados federais subscreveram uma ata destinando os recursos, mas faltaram pelo menos as assinaturas de mais quatro parlamentares!!! De outro lado, oito deputados federais assinaram ofício endereçado ao coordenador da bancada, deputado Juscelino Filho, propondo a destinação dos recursos com pequenas alterações em relação ao contido na ata!!! O prazo para o cadastramento da emenda já passou, mas foi assegurada uma nova oportunidade junto à Comissão Mista de Orçamento!!! O novo prazo, contudo, já vai se esgotar e nada de a bancada chegar a um entendimento!!!
Que o mínimo de bom senso e responsabilidade volte à bancada para que se chegue a um entendimento, para que se evite tamanho prejuízo ao Maranhão!!! O povo não pode ficar a mercê de divergências e birras políticas!!! Se a maioria da bancada se decidiu por um posicionamento, que os demais parlamentares aceitem a decisão democrática e assim ajudem também o estado tão necessitado de recursos!!!

*** Olha só essa!!! O ex-governador José Reinaldo Tavares foi surpreendido, essa semana, com uma postagem de um conhecido blogueiro da ‘Grande Ilha’ revelando que ele participava de uma ‘irmandade’ com várias pessoas, com as quais se reunia frequentemente e revelava, também, seus prognósticos para eleições de prefeito, governador e presidente, além de suas preferências!!! Isso tudo sem uma conversa sequer entre o ex-governador e o blogueiro…, nenhuma entrevista, nada!!! As pessoas citadas são realmente muito amigas do ex-governador, e no passado se reuniram muito com ele, principalmente na eleição de Edivaldo Holanda e de Flávio Dino, as quais essa turma apoiou quando ambos foram candidatos pela primeira vez!!! Neste ano, conforme constatou a ‘muriçoca chipada’ do Dr. Pêta, não mais se reuniram!!! Sendo assim, não têm candidatos, muito menos os citados!!! Assim como a ‘nova política’ caminha aos ‘trancos e barrancos’, será que também está surgindo uma ‘nova imprensa’, onde o jornalista define o que pseudo entrevistado pensa???!!! Tempos estranhos esses!!!

*** Viram o que fizeram domingo nas dunas situadas em frente à Base da Lenoca, na Litorânea???!!! À vista de todos que ali almoçavam, três ‘moleques’ subiram as dunas e jogaram uma tocha de fogo pequena no mato!!! Foi o bastante para provocar um incêndio que afetou bastante moradores dos prédios vizinhos ao Ipem e adjacências!!!

*** Indignado com aquilo, um leitor do Dr. Pêta ‘emeiou’ para comentar!!! As dunas são ecossistemas mais belos, sensíveis e também dos mais afetados pela ação humana!!! A expansão urbana dizimou parte significativa do trecho das praias urbanas de São Luís!!! Por ser uma região de alto valor devido à proximidade com o mar, a condição de área protegida fica mesmo no papel. No entanto, não havendo meios de deter a expansão urbana há maneiras de mitigar e recuperar as dunas a fim de que cumpram suas funções ecológicas de abrigo de sua flora de plantas e árvores, impedindo o avanço das águas do mar e valorizando os aspectos paisagísticos na orla, o que ajudam na identidade ambiental da cidade, junto com os manguezais e matas de galerias em torno dos lençóis de água dos vários rios que recortam a ilha de Upaon Açu!!! Chama a atenção o descaso, não apenas do poder público, que deveria mitigar os danos causados pela expansão urbana, mas da população, ou de parte composta de indivíduos sem noção que simplesmente ateiam fogo no capinzal e provocam incêndios sistemáticos nessa época do ano!!! Principalmente quando há muitos ventos e o material
orgânico sobre as dunas está mais seco!!! Um planto de manejo e gestão das dunas, aliado a campanhas de conscientização, ajudaria muito na preservação do que resta e na restauração desse inestimável bem
público que virou cinzas e buracos de voçorocas decorrentes do desmatamento e incêndios criminosos!!!

*** Sabiam que o governo de Jair Bolsonaro quis acabar com os Correios no Maranhão???!!! Pois é…, nem eu!!! Quem esclarece agora é o jornalista Lauro Jardim!!! Olha só o que ele escreveu em seu blog, nesse sábado!!! “Uma das primeiras medidas do governo Bolsonaro, logo em janeiro, foi encerrar a programação e produção de conteúdo da EBC no Maranhão, usando a austeridade como justificativa. Mas passados quase dez meses, o governo não economizou absolutamente nada. Pelo contrário. E o motivo é a falta de planejamento. Desde então, nenhum funcionário foi transferido de lá e os que são cedidos não foram devolvidos a seus órgãos. Ou seja, continuam recebendo salários e benefícios sem que haja demanda de trabalho. Além disso, o governo ainda não assinou o contrato de cessão do prédio da EBC no estado para o Instituto Federal do Maranhão, que assumiria as despesas mensais de cerca de R$ 4 milhões. Na última semana, o presidente da EBC, general Pereira Gomes, foi ao prédio entregar certificados de agradecimento aos funcionários. Queixou-se que foi recebido com hostilidade”!!!

*** E olha só essa renúncia que mudou a América e que envolve o ‘nosso’ Eduardo Lago, pai do atual presidente da Emap, Ted Lago!!! A história seria contada por José Reinaldo Tavares, em seu artigo da próxima terça-feira, aqui no JP, mas, depois de um “dramático” apelo do meu chefe (hahahahahahahahaha), o ex-governador maranhense cedeu-a ao Dr. Pêta, que agradece “penhoradamente” por levar ao seus leitores, em primeira mão, a ‘deliciosa’ narrativa!!! Bom…, e então, vamos a ela!!!

*** Saulo Ramos, em seu livro “Código da Vida”, conta que Eduardo Lago era o único que sabia quem havia, por brincadeira, escondido o revólver de Fidel Castro, durante um jantar na Embaixada brasileira em Havana, logo depois de Fidel desfilar na Quinta Avenida, em New York, sob aplausos, após derrubar a ditadura de Batista, em Cuba. Eduardo Lago nunca disse quem fez a brincadeira que irritou Castro, a ponto de sair da Embaixada esbravejando. Não contou nem depois que a arma foi entregue a Fidel, um dia depois. Era o começo do governo de Jânio Quadros no Brasil.

José Reinaldo recebeu de Eduardo Lago um relato de uma história que poderia ter mudado o mundo, e as Américas.

*** Diz Lago: “Sempre afirmo que a renúncia de Jânio Quadros mudou o destino de Cuba. Estou colando documento que consta no livro (de um embaixador que está revisando) e cujo prosseguimento sou talvez a única testemunha viva”.

*** Trata-se de proposta apresentada em reunião na embaixada brasileira, em um domingo 6 de Agosto de 1961, presentes, Fidel, o futuro embaixador em Cuba Flores da Cunha, o Conselheiro Jacinto de Barros, Secretário Ruiz Diniz e Eduardo Lago. Jânio havia mandado uma carta para Fidel e essa reunião era para obter o aval de Fidel. E Fidel deu imediato sinal verde para prosseguir.  A carta de Jânio é auto explicativa e vale a pena ser lida:

“Ex.mo Sr. Primeiro-Ministro Fidel Castro

Havana

Ilustre e Bom Amigo,

Desde que, com a minha investidura na Presidência da República do Brasil, assumi graves responsabilidades nacionais e internacionais, venho acompanhando, com especial interêsse, o desenvolvimento da situação em Cuba, de cujo governo Vossa Excelência é o principal representante.

Não tenho nenhuma competência, nem a menor intenção de me imiscuir, por qualquer forma que seja, nos assuntos internos da Revolução Cubana, e, se me dirijo a Vossa Excelência, faço-o não só confiando na amizade que se estreitou entre nós, desde a visita que fiz a Cuba, mas, principalmente, no cumprimento do que se me afigura o meu indeclinável dever, em face das responsabilidades nacionais e internacionais, acima mencionadas.

Com o Brasil se dá, de forma particularmente intensa, o que ocorre, creio, até certo ponto, com os demais países da América Latina: a Revolução Cubana nos interessa de perto, tanto do ponto de vista nacional quanto do internacional.

*** Até algum tempo atrás, o admirável movimento, liderado pela figura juvenil e heróica de Vossa Excelência, significou algo de nôvo para a História da América: o exemplo de um pequeno povo lutando, com êxito, contra o cêrco imperialista e em prol da sua autodeterminação, do seu desenvolvimento econômico, do seu progresso e igualdade sociais.

Dois aspectos da Revolução Cubana eram especialmente significativos: a sua mocidade e a sua autenticidade. De certa forma, os dois traços confundiam-se: a Revolução Cubana era jovem porque autêntica, e autêntica porque jovem.

*** Uma geração môça, súbito amadurecida na luta contra uma ditadura corrupta e cruel, tomou o poder em seu país, descompromissada com quaisquer heranças ou influências políticas ou alienígenas. Esta ausência de compromissos era, sem dúvida, o significado principal da Revolução Cubana, o seu vitorioso sentido continental; situação que lhe atribuía, inclusive, importância mundial, porque representava a decisiva e, talvez, primeira contribuição da América Latina nos planos do pensamento político e da experimentação social do século XX.

*** Pode-se dizer que, nesse sentido, o castrismo sucedia ao monroísmo com a fórmula: “A América Latina é para os latino-americanos”.

De algum tempo a esta parte – permita-me Vossa Excelência dizê-lo amistosamente, sempre em função das minhas responsabilidades e sem qualquer ingerência nos negócios cubanos – de algum tempo a esta parte, nota-se a influência da doutrina e da técnica comunistas na Revolução Cubana.

*** Não vou – nem é êste o momento para tal – dissertar academicamente sôbre a teoria marxista, as suas várias interpretações, os seus diversos processos de expansão e aplicação. São coisas de livros e nós ambos, Vossa Excelência e eu, somos, sobretudo, homens de ação.  Meu govêrno é favorável à existência de relações francas e leais entre a América Latina e o mundo soviético, e isto tenho reiteradamente declarado, desde a campanha política que precedeu a minha eleição. A convivência leal aumentará a área de intercâmbio econômico e diminuirá a nefasta tensão política entre Oriente e Ocidente. Mas meu govêrno considera o marxismo como teoria de Estado e sistema de organização social inadaptáveis às condições históricas e geográficas do nosso Continente, bem como o crê desvinculado dos fatos e situações do nosso tempo, produto que é das relações culturais e históricas do século XIX.

*** Compreendemos que se veja, no comunismo soviético, um instrumento capaz de estimular a redenção dos povos e o progresso das sociedades. O que não aceitamos é que se encontre, nêle, o único instrumento adequado a êsses grandes fins. Confiamos, sinceramente, para tanto, no sistema democrático e nacionalista, depurado das suas fraquezas e revigorado nas suas qualidades, entre as quais se encontra, para nós, de forma indiscutível, a liberdade, com tudo o que ela apresenta de essencial à pessoa humana.

O cêrco capitalista forçou Cuba a se apoiar nos Estados comunistas. Era inevitável. Não sei se o seria tanto evitar que o apoio se transformasse na determinada influência, que vai alargando incessantemente o fôsso que começa a separar a Revolução Cubana dos interêsses e convicções das Nações da América.

*** De qualquer forma, torna-se cada dia mais difícil, para mim, harmonizar os sentimentos e as conveniências nacionais e internacionais da Revolução democrática em processo no Brasil, com a progressiva sovietização da Revolução Cubana. Para mim ela vai, desgraçadamente, perdendo os dois traços que a faziam invencível na América: a mocidade, porque se prende a teorias e fórmulas automáticas e infindamente discutidas sem resultado; e a autenticidade, porque vai perdendo o seu rico sentido continental.

Senhor Primeiro-Ministro, creio interpretar o pensamento de milhões de brasileiros e de latino-americanos, ao manifestar-lhe a necessidade de salvarmos as conquistas democráticas e sociais da Revolução Cubana, de tanto valor histórico para todos.

*** Isto poderá ser conseguido ainda, no momento em que se agravam as ameaças contra Cuba, através da ação pessoal e sempre corajosa de Vossa Excelência, imprimindo à Revolução Cubana, com seu gênio e o seu prestígio, a linha necessária que não é de reação, mas de recuperação.

Meu govêrno estará pronto a apóiá-lo e a ajudá-lo, se necessário, nesses esforços, que nos parecem indispensáveis e urgentes.

Compete ao governo cubano, caso encontre procedência nas premissas aqui assentadas, deliberar. Contudo, a título de sempre amistosa sugestão, permito-me ponderar a Vossa Excelência o que se segue.

*** Considero importantes demais as vinculações econômicas  estabelecidas entre Cuba e o bloco soviético, como resultado das visitas do sr. Mikoyan a Havana, e dos srs. Raul Castro, Ernesto Guevara e Nuñes Jimenez a Moscou, para que possam ser rôtas ou interrompidas. Considero ainda, que o auxílio econômico e técnico, iniciado pela U.R.S.S., China Continental, Tcheco-Eslováquia e outros países do bloco, deve incrementar a industrialização, bem como o desenvolvimento econômico e social de Cuba, se fôr aplicado convenientemente, no prazo de alguns anos. Tôda a questão está em saber se haverá tempo para tal aplicação, ou se a situação política irá se agravando, interna e externamente para Cuba, até determinar conseqüências que impeçam o prosseguimento da obra iniciada. Trata-se, pois, de tornar possível o próprio plano de desenvolvimento de Cuba, e, a meu ver, isto só se dará se Vossa Excelência puder eliminar as vinculações políticas e militares que passaram a prender Cuba ao bloco soviético, como decorrência do auxílio econômico.

*** Em palavras mais precisas: penso que a solução para o impasse que se aproxima estará, talvez, numa espécie de neutralização de Cuba, mais ou menos no tipo de situação conseguida pela Finlândia, tomada ao inverso. A Finlândia tem, internamente, uma organização democrática capitalista à ocidental, mas não participa da política do Ocidente para obter a boa vizinhança da Rússia. Cuba teria, internamente, uma organização democrática socialista, mas não participaria da política do Oriente, para obter a boa vizinhança dos países americanos. Seria esta solução possível?

Creia sempre, Senhor Primeiro-Ministro, etc.”

*** No entanto, o desfecho foi precipitado, pois Jânio Quadros, intempestivamente, renunciou e o assunto não foi em frente. Poderia ter mudado tudo!!!

*** Rapaz, a situação na Rua Grande tá complicada!!! Mesmo com a fiscalização da Blitz Urbana, os camelôs avulsos não saem de lá!!! Aliás, sair até que saem quando a ‘Bliz’ ‘tira pra fora’…!!! Mas basta sentir que a a Blitz foi embora, os camelôs retornam!!! Só Jesus na causa!!! Ou uma vigilância sistemática, o dia inteiro!!!

*** E pra fechar…

A inteligência artificial no direito

A Inteligência artificial está levando a comunidade jurídica a repensar a relação homem-máquina e suas implicações na atuação dos profissionais da área jurídica e em diversos outros aspectos da sociedade contemporânea.
Levando-se em consideração que a ciência jurídica, pela sua natureza, não é um sistema estático, a Inteligência Artificial abre cada vez mais espaço no campo do Direito com a criação dos “robôs”, muitos deles atuando em alguns escritórios de advocacia nos Estados Unidos.
Hoje, podemos encontrar robôs que redigem petições e buscam processos antes mesmo da empresa ser notificada, aumentando o tempo para o réu preparar sua defesa.
Várias atividades tradicionais estão sendo “engolidas” pelos robôs, com a Inteligência Artificial presente em áreas até pouco tempo consideradas intocáveis, desafiando os operadores do Direito.

(Antônio Carlos Lua – Jornalista)

**********

O óleo no nordeste e o bobo da corte

O Bobo da Corte, obra do pintor polonês Jan Matejko, retrata o palhaço Stańczyk recolhido em profunda amargura, sentado numa poltrona da antessala escura em que descansava entre uma apresentação e outra. O plano de fundo do quadro mostra uma nobreza em festa, que dança e bebe madrugada adentro, enquanto apenas Stańczyk se debruça em lágrimas sobre uma carta que recebera contando da tomada da cidade de Smolensk pelos russos. O bobo da corte, logo ele, o único a entender a dimensão do que ali estava a acontecer, enquanto o baile real seguia orgulhosamente entorpecido pela ignorância dos nobres.

41 dias. O tempo que o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (NOVO), demorou para acionar o Plano Nacional de Contingência em reação às manchas de óleo surgidas no litoral nordestino. Preferiram procurar culpados: já foi da Venezuela ao Greenpeace. Insistem nas narrativas mais esdrúxulas para tirar o corpo fora. O próprio Presidente já bateu o martelo: “não é responsabilidade nossa”, disse. Jair Bolsonaro (PSL) também extinguiu dois comitês do Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Água (PNC), que eram responsáveis por tratar de incidentes como este. Deu de ombros e seguiu em seu baile real.

Neste ínterim, a própria população cuidou de resolver o problema. Juntaram pás, luvas, sacos e baldes e foram peitar o desastre. Assim, no braço. Sem ajuda, sem recursos, sem maiores informações sobre os possíveis efeitos tóxicos daquele estranho óleo viscoso que se espalhava pelas nossas praias. Não há romantismo: é desespero puro, pelo inimaginável impacto ambiental na vida marinha, além do amplo prejuízo às economias locais.

O gigantismo do Nordeste se reafirma, ainda, na ciência: por meio do seu Instituto de Química, a UFBA está transformando parte do óleo recolhido nas praias em um tipo de carvão que pode ser usado como mistura para asfalto e blocos de construção. Em Pernambuco, o óleo é levado para um centro de tratamento de resíduos para ser transformado em combustível para indústrias. Enquanto o Governo se omite, o Nordeste carrega nas costas a solução do problema, anos luz à frente de todos.

41 dias. O nordestino, tratado pelo Presidente como um bobo da corte, um “paraíba”, foi o primeiro a perceber a envergadura da tragédia – e também o primeiro a agir. É que enganam-se os que acham que o bobo da corte é de fato um bobo. Stańczyk, assim como tantos outros através da história, era a figura mais inteligente do reino. Perspicazes, eram os únicos que se propunham a gozar da cara do Rei. Mas dessa vez o “Rei” partiu em represália contra nós e o meio ambiente, ainda choroso por ter perdido nas urnas em todos os Estados da região. Esqueceu-se que tem a obrigação de zelar por todo o País.

O Nordeste segue visto pelo Rei como o bobo da corte. Rejeitado, esquecido, sim, mas mais inteligente que todos. A nobreza, a alta gestão, segue o baile, refestelando-se do alto de sua cruel omissão. O Bobo da Corte foi pintado em óleo sobre tela. Nós, uma pena, em óleo sobre água.

José Gabriel Costa Machado

Administrador (UEMA), Assessor Especial e Coordenador do Programa de Regularização Fundiária (SECID/MA), Vice-presidente do Instituto Observatório da Cidadania (IOC)

**********

MISTÉRIO –

*** Qual é o secretário que, infantilmente, está criando um clima adverso contra ele próprio, ao dar importância desnecessária a noticiário de blogs sem credibilidade???!!! Parece que bebe!!!

*** Qual é a força oculta que está por trás de uma tentativa de operação para ‘pegar’ o filho de um político importante aqui da ‘terrinha’???!!! Será que o chefe maior sabe dessa ‘mirabolância’???!!!

*** Quais são os dois auxiliares de Flávio Dino que não ‘se bicam’, e isso pode criar sérios problemas para o governo???!!!

*** Qual assessora de comunicação só faltou ter multiorgasmos com a presença, num certo poder, do maranhense que virou ‘meme’ internacional com o ‘hit’ ‘Caneta Azul’???!!!

*** E quem foi o gestor que quase cai na onda de receber o balsense autor do ‘Caneta Azul’, só desistindo depois de ter sido (bem) aconselhado por um jornalista a não fazer isso???!!!

*** Quem é o alto funcionário do governo que está levando um baita de um ‘gelo’ da ‘filial’ e anda bolando ‘mil e uma’ estratégias, e até ‘arapucas’, para ver se encontra uma forma de falar com ela sem dar o ‘braço a torcer’???!!! Ainda é orgulhoso, hahahahahahahahahahahaha!!!

*** Quem é o político que fica com as diárias dos funcionários fazendo a tal da ‘cruzeta’???!!!

*** Quem é a empresária de cantora maranhense que teria sido ‘despejada’ da casa da mana???!!! “Jesus/Maria/José”…, será que imperou p ‘dito’: “Família, família (amigos, amigos), negócios à parte”???!!! Tcham, tcham, tcham, tcham…!!!

*** Quem é o dono de uma escola de samba ‘Tabajara’ que apareceu ‘do nada’ no resultado de um edital oficial???!!! Onde ela desfila???!!! Que dia e quando desfilou???!!!

***

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias