Fechar
Buscar no Site

MST volta a tocar fogo em pilhas de eucalipto e recebe polícia a bala

O Movimento Sem Terra (MST) voltou a queimar pilhas de eucalipto, na noite deste domingo, 4, no município de Itinga, no Sul do Maranhão. O material seria transportado para a Indústria- Siderúrgica Viena .

Os eucaliptos cortados estavam empilhados e aguardando o transporte para a indústria Viena.
O prejuízo com destruição é enorme, pois se trata do resultado de sete anos entre plantio, tratos culturais, até estarem prontos para serem cortados .
Policiais militares foram recebidos a tiros pelos autores do incêndio, logo que foram avistados chegando ao local, no final das pilhas de eucalipto que estavam pegando fogo.

Novo ataque – Foi o segundo ataque do MST no fim de semana. Na tarde de sábado, 3, coincidentemente quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estava em solo maranhense, os integrantes do MST atearam fogo em várias pilhas de eucalipto cortado na fazenda da siderúrgica Viena que seria transportado para a indústria da Viena, em Açailândia.


Conforme publicou O INFORMANTE (JP Online), nesse domingo, 4, com base em denúncia do presidente do Centro das Indústrias do Maranhão (CIMAR), Cláudio Azevedo, que acompanhou as notícias em tempo real, os funcionários da empresa passaram a noite inteira apagando o fogo.

O MST invadiu as terras da Viena há mais de dois anos e deu à ocupação o nome de Marielly Franco, vereadora do PSOL assassinada a tiros no centro do Rio de Janeiro, em março de 2018.
A Viena conseguiu na justiça a reintegração de posse, mas a decisão judicial nunca foi cumprida.
Não é só a Viena que tem problemas de terras invadidas no Maranhão; a empresa Suzano também enfrenta essa insegurança. Cinco fazendas da Suzano foram invadidas pelo MST em nosso estado. São elas: Jurema, São Bento, Santa Cruz, Rodominas e Eldorado.

 

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias