Fechar
Buscar no Site

Morre em Imperatriz o jornalista Adalberto Franklin, aos 54 anos

Foto: Reprodução

Morreu na noite de quinta-feira (2) em Imperatriz, o jornalista e escritor Adalberto Franklin, de 54 anos. Ele estava internado no Hospital Unimed, desde a tarde do dia 9 de fevereiro, quando sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC).Adalberto aguardava uma reunião na Academia Imperatrizense de Letras (AIL), onde ocupava uma cadeira, quando começou a passar mal.

Desde então, os médicos que cuidaram do jornalista, além de enfrentar a hemorragia causada pelo AVC, ainda tiveram de combater uma pneumonia, mas Adalberto não resistiu.

Por meio de mensagem no WhatsApp, a também jornalista Mariana de Sousa Castro, de 26 anos, filha mais nova do intelectual, informou que o velório e a vigília acontecerão hoje (sexta, 3), na casa da família, no bairro Bacuri (Imperatriz).

O sepultamento será amanhã (sábado, 4), no cemitério Campo da Saudade.

Antes do enterro, às 7h do sábado, haverá uma missa de corpo presente, na catedral Nossa Senhora de Fátima (praça de Fátima). Das 8h às 10h, o corpo será velado na AIL.

Piauiense de Uruçuí, Adalberto Franklin Pereira de Castro foi trazido para o Maranhão após 3 dias de nascido, em abril de 1962. Morou em Balsas e, aos 10 anos (1972), chegou a Imperatriz, cidade na qual se estabeleceu e fez uma sólida carreira intelectual.

É autor de livros importantes sobre a história de Imperatriz, como “Breve História de Imperatriz” (2005) e “Repressão e Resistência em Imperatriz” (2016).  Fundou na cidade a editora Ética, em 1992. Deixa três filhos (Marcos Vinício, 31, Eduardo, 27, e Mariana, 26).

A Fundação Cultural de Imperatriz (FCI) e o governo do Estado emitiram, nesta sexta-feira (3), notas de pesar pela morte do intelectual.

O atual presidente da Fundação Cultural, Chiquinho França, lembrou nesta sexta que Adalberto Franklin foi o primeiro presidente da Fundação, em 1996.

Ele também ressaltou que Adalberto deixa um grande legado para a cidade com suas inúmeras pesquisas: “Jornalista, escritor, editor, historiador, fiel amante de nossa cultura, pesquisador nato de nossos valores históricos…”

Já a nota de pesar publicada no site do governo do Estado, lembra a trajetória de Adalberto como “escritor e editor, além de ativo militante político ligado às causas da democracia”.

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias