Fechar
Buscar no Site

Ministro da Saúde pede a empresários que repensem publicidade na imprensa “que não contribui com o Brasil”

 

Ao reagir à publicação de uma foto sua sem máscara, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que parte da imprensa “não contribui com o Brasil”, que vive hoje uma grave crise sanitária em meio à pandemia. Ao participar, segunda-feira, 3, de evento da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) com empresários da área da saúde, Queiroga sugeriu, sem citar nomes, que repensem a publicidade nesses veículos.

O desabafo do ministro foi feito depois de ver publicada uma foto sua, sem máscara, quando acompanhava a chegada de doses da covid da Covax Facility, nesse domingo (2). Ele diz que a imagem foi publicada fora de contexto e que tirou a proteção apenas por um momento para ajustá-la.

“Tenho pregado o uso de máscaras, e a sociedade é testemunha. Ontem (domingo) tirei a máscara para dar esse nó [mostrando a máscara e o nó feito no elástico para ajustar]. Aí um jornalista de um veículo de comunicação fotografou e publicou lá: “Ministro da Saúde chega sem máscara”. Vai chegar o momento em que vamos desmascarar essas pessoas que não contribuem com o Brasil, até parte da imprensa”, afirmou Queiroga.

“Não sei com que motivação querem fazer isso para motivar a discórdia. Seria bom que vocês da iniciativa privada e que fazem publicidade nesse tipo de comunicação repensassem essas estratégias”, completou.

Alguns especialistas, no entanto, já apontaram que o ministro tem atribuído a Jatene a frase “Curar quando possível; aliviar quando necessário: consolar sempre”,  a qual é tida como de Hipócrates, pai da medicina.

“Parem com essas coisas, e vamos ajudar o Brasil”, afirmou Queiroga, dizendo ter levado a foto de Jatene ao seu gabinete, a quem considera exemplo na saúde e na medicina.

 

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias