Fechar
Buscar no Site

Miltinho Aragão se manifesta nas redes sociais sobre sucessão de Flávio Dino

Foto: Reprodução

O ex-prefeito de São Mateus Miltinho Aragão se manifestou nas redes sociais, nesta sexta-feira, 25, sobre a sucessão do governador Flávio Dino. Em vídeo gravado no próprio município, Miltinho disse que a escolha entre Carlos Brandão e Weverton Rocha deve ser vista como um processo natural, que seria o vice-governador ser o escolhido como candidato do grupo para a disputa de 2022.

“É natural”, disse: “Weverton acabou de ser eleito o senador do Maranhão, tem seis anos anos pela frente. Carlos Brandão foi dois mandatos seguidos vice-governador, leal, honesto, correto, contribuindo com o Estado; contribuiu inclusive com a eleição dos três senadores. Ora, se ele foi bom para ajudar a escolher os três senadores, por que não ele agora ser o escolhido pelos demais para conduzir o processo eleitoral do Maranhão na eleição de 2022”, questionou Aragão.

Miltinho disse que seria até deselegante chegar para Carlos Brandão, após dois de abril, ele sentado na cadeira de governador, e pedir para ele que não seja candidato a nada. “Chega a ser deselegante pensar assim”, afirmou.

O ex-prefeito de São Mateus se refere no vídeo, também, à recente declaração do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, de que, de qualquer jeito, Weverton seria candidato ao governo do estado.

“Na política, como na vida, de qualquer jeito não rola; de qualquer jeito é na marra; na marra é estupro. Nenhum líder gosta de imposição, dizer que ‘de qualquer jeito’ não é um bom conselheiro. Não foi assim, por exemplo, que Weverton foi o escolhido para ser o ‘senador de todos nós’. Por sinal, o melhor de todos os senadores que o Maranhão já teve, na minha avaliação. Jovem, aguerrido, tem contribuído muito com o Maranhão, mas tem seis anos de mandato; pode esperar o seu momento. ‘Tudo em seu tempo’, está escrito em Eclesiastes”, ressaltou Miltinho.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias