Fechar
Buscar no Site

Major é exonerado sem sindicância e depoimento revela que advogados teriam mentido

O depoimento do motorista Ivan

O depoimento do motorista Ivan Alves de Castro, tomado pelo delegado Daniel de Arruda Antunes, na delegacia do 1º Distrito Policial de Bacabal, desmente versões apresentadas por dois advogados num rumoroso caso que resultou no afastamento do major Daniel Kraeky, da PMMA. Kraeky foi exonerado sem que tivesse sido aberta qualquer sindicância.

Tudo aconteceu no dia 11 deste mês, quando houve uma batida entre uma Hilux conduzida por Ivan, que estava com sintomas de embriaguez, e uma moto. Ao chegar ao local, os policiais militares, segundo o motorista, ordenaram a sua condução para a delegacia e o major acabou se envolvendo numa discussão com os advogados Ricardo Luna e Jamile Lobo, que, ao presenciarem o fato, apresentaram-se como defensores do motorista, afirmando que haviam sido constituídos por ele. Uma grande confusão se formou e os advogados registraram ocorrência contra o major, acusando-o de abuso de autoridade.

Diante disso, o Comando Geral da PMMA, depois de uma reunião do secretário Jefferson Portela com o presidente da OAB-MA, Thiago Diaz, acompanhado da presidente da Subseção de Bacabal, Andreia Furtado; dos advogados envolvidos no incidente e de integrantes da Comissão de Assistência, Defesa e Prerrogativa dos Advogados, exonerou o major Daniel Kraeky da função de Subcomandante do 15º BPM de Bacabal. A exoneração, baseada apenas na versão da OAB-MA, foi efetuada sem qualquer procedimento investigativo, conforme apurou O INFORMANTE.

DEPOIMENTO DESMENTE ADVOGADOS – Na tarde da última terça-feira, 14, o delegado Daniel de Arruda Antunes, de Bacabal, ouviu o motorista Ivan Alves de Castro, o condutor da Hilux envolvida no acidente com a moto.

Disse Ivan de Castro  que em nenhum momento constituiu como seus defensores os advogados Ricardo Luna e Jamile Lobo. Inclusive, ao prestar depoimento ele se apresentou com um outro advogado.

O motorista afirmou que, no momento da batida, enquanto conversava com os policiais verificou a chegada dos dois advogados, e que a advogada Jamile Lobo se alterou e xingou os policiais.

Contou, ainda, que foi agredido por um homem que estava no local, mas que ele não sabe quem o agrediu. Segundo ele, chegou a temer pela sua vida e que os policiais que atenderam a ocorrência o salvaram de ser linchado.

Ivan Castro falou, também, sobre uma ação que talvez buscasse contornar essa questão e burlar o inquérito. Segundo ele contou na delegacia, no dia 13 de julho recebeu a visita do advogado Ricardo Luna em sua casa. O advogado teria pedido para que Ivan Castro confirmasse em depoimento que havia contratado Ricardo e sua namorada Jamile. Ivan disse à polícia bacabalense que não aceitou a proposta e que informou a Ricardo Luna que seu advogado era Neto Mendes, que, inclusive, acompanhou-o em todo o episódio do dia 11 de julho quando ocorreu o acidente de trânsito.

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias