Fechar
Buscar no Site

Fatos novos podem reforçar pedido de Cutrim para reabrir ‘Caso Décio’

Fatos novos desencadeados a partir da prisão de Shirliano Graciano de Oliveira, conhecido como “Balão”, no final do ano passado, em Anápolis (Goiás), podem reforçar um pedido do deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB), junto ao juizado da 1ª Vara do Júri de São Luís, para reabrir o ‘Caso Décio Sá’, jornalista e blogueiro assassinado há cinco anos no interior do bar Estrela do Mar, na Avenida Litorânea.

‘Balão’, que ao ser preso, por tráfico interestadual de drogas, usava o nome falso de Carlos Alberto Ferreira, figura no inquérito que investigou o homicídio como um dos envolvidos na trama que levou Décio Sá à morte.

Apesar da prisão, Shirliano não foi trazido para São Luís, porque, segundo a Secretaria da Segurança, não haveria mandado de prisão contra ele na Justiça maranhense. O INFORMANTE apurou, no entanto, que Shirliano tem prisão decretada pelo juiz José Gonçalo de Sousa Filho, da Terceira Vara Criminal da Comarca de São Luís, por furto qualificado. A prisão foi decretada em virtude de Shirliano não ter comparecido a duas audiências marcadas por José Gonçalo. Em Anápolis, ele responde a dois processos.

‘Balão’ estava foragido do Maranhão desde o ano de 2012, quando Décio foi assassinado. Apesar de ter postado, na época, um vídeo no Youtube garantindo que não participou do crime, sabe-se, agora, que as reuniões sobre a trama da morte do blogueiro teriam acontecido na casa dele, no sítio São José, em São Luís.

Há ainda um fato que desperta estranheza. Bruno, o suposto piloto da moto que conduziu o pistoleiro Jhonatan para a execução de Décio, que continua preso até hoje no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, de onde já fugiu uma vez e foi recapturado, na época nem sabia dirigir moto. Aprendeu anos depois.

Há outros fatos novos ainda em apuração que podem levar a Justiça a determinar a reabertura do caso que teve enorme repercussão em todo o Maranhão, ganhando, ainda, o interesse da imprensa nacional.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias