Fechar
Buscar no Site

Europa aprova ‘passaporte da vacina’ para retomar turismo

Foto: Reprodução

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, antecipou nesta quinta-feira, 25, que os países-membros da União Europeia (UE) colocarão em prática um passaporte de vacinação “para o verão” no Hemisfério Norte (entre junho e setembro), para “possibilitar” viagens dentro do bloco europeu.

Em entrevista coletiva, ao término da reunião virtual entre líderes da UE, a chefe de governo explicou que todos os parceiros concordaram com o desenvolvimento de um sistema que permita compatibilizar os diferentes passaportes de vacinação contra a Covid-19 que os membros do bloco estão elaborando.

A Comissão Europeia (CE) tem agora três meses para definir as condições técnicas desse sistema. Os líderes acreditam que o mecanismo estará operando “nos próximos meses” e “para o verão”, segundo a chanceler alemã.

Merkel advertiu ainda que as mutações do coronavírus Sars-CoV-2 (causador da Covid-19) podem exigir vacinações anuais para que a pandemia seja controlada. “Em razão das mutações, talvez tenhamos de ficar muitos anos na situação de ter de vacinar uma vez e outra (contra o coronavírus), como fazemos com a gripe”, disse ela.

‘Restrições drásticas’
Em um comunicado divulgado mais cedo, os líderes defenderam a continuidade de “restrições drásticas” adotadas para enfrentar as variantes do coronavírus. “A situação epidemiológica ainda é séria e as novas variantes representam desafios adicionais. Por isso, devemos manter restrições drásticas, enquanto aumentamos os esforços para acelerar a provisão de vacinas”, destacaram os líderes na declaração.

O presidente do Conselho Europeu, o belga Charles Michel, admitiu nesta quinta-feira que as próximas semanas serão difíceis para os esforços mobilizados pelo bloco para imunizar a população contra a covid-19. Eles participaram hoje do primeiro dia da cúpula virtual europeia para discutir ações unificadas contra a pandemia.

(Com Agências Internacionais)

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias