Fechar
Buscar no Site

Escritor que apoia Bolsonaro vê risco de ‘golpe não declarado’ com militares no governo

Para Olavo de Carvalho, o presidente tem de ‘apoiar-se no povo que o ama e impor sua autoridade por igual a civis e militares’

O presidente Jair Bolsonaro garante que, no governo, nunca houve disputa entre os chamados ‘olavetes’ (pessoas ligadas ao escritor e filósofo conservador Olavo de Carvalho) e militares, mas Olavo, que não é hipócrita, continua a tratar abertamente do assunto.

Nesta segunda (8), depois de censurar mais uma vez o comportamento do general Hamilton Mourão (vice-presidente da República), Olavo de Carvalho (apoiador de Bolsonaro) publicou nas redes sociais:

“Afinal, quem foi eleito para governar o Brasil foi o cidadão Jair Messias Bolsonaro ou foi a corporação militar? Toda ambiguidade nessa questão é criminosa e desastrosa. Na primeira hipótese, os generais são humildes e obedientes auxiliares do presidente, nem mais nem menos poderosos que quaisquer civis nomeados para os mesmos cargos. E então entram no exercício das suas funções como meros cidadãos comuns e não como herdeiros do regime militar. Na segunda hipótese, o que temos é uma retomada do poder pelos generais sob uma camuflagem democrática montada às custas de um inocente capitão de Exército.”

E mais:

“A única saída é o presidente apoiar-se no povo que o ama e impor sua autoridade por igual a civis e militares. Ou isso, ou já estamos numa atmosfera de golpe não declarado.”

Olavo de Carvalho conclui:

“Embora acreditando que eles nunca foram tão maus quanto os comunistas os pintam, eu nunca quis os militares de volta. Quis um governo democrático presidido pelo candidato que escolhi. Se isso foi usado como drible para trazer os militares de volta, fomos todos enganados.” (Com O Antagonista)

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias