Fechar
Buscar no Site

Empresas começam a se instalar em casarões do Centro Histórico de São Luís

Foto: Reprodução

O Centro Histórico de São Luís está se consolidado como espaço de oferta de serviços culturais, educacionais, tecnológicos e de entretenimento para turistas e moradores da cidade graças a um conjunto de obras e serviços que o Governo do Estado coloca em prática, desde 2015, em parceria com empresas e grupos culturais, visando garantir uma ocupação sustentável.

No fim deste mês de junho, estarão concluídas as obras de funcionamento de um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e outros setores da empresa de telecomunicações TVN, em um imóvel na Rua da Estrela, nº 472, adquirido por meio de edital do Programa Adote um Casarão. É mais um esforço do Governo do Estado para valorizar o Centro Histórico de São Luís.

O Adote um Casarão disponibiliza imóveis do Estado, que estavam desocupados ou subocupados, para empresas, grupos culturais e instituições educacionais recuperarem e ofertarem serviços atraindo mais movimento na área central da cidade. O programa é coordenador pela Secretária de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid).

A exemplo da TVN, os outros vencedores dos editais do Adote um Casarão estão investindo na recuperação dos imóveis e na oferta de atividades no Centro Histórico de São Luís, como o grupo cultural Mandingueiros do Amanhã (prédio na Rua da Estrela); a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) com a instalação de cursos no prédio do Centro Caixeiral (Praça Benedito Leite); e empresários lojistas, com o Shopping Rua Grande.

O SESI instalará um Centro Tecnológico e Cultural da Indústria em um imóvel na Praça João Lisboa; e o setor empresarial do ramo da gastronomia está recuperando um casarão, também na Praça João Lisboa, para ser um bistrô & café; dentre outros.

“O Centro Histórico está ganhando nova vida, na administração do governador Flávio Dino, o que está assegurando nossa história e gerando emprego e renda. Essa iniciativa faz parte de um conjunto imenso de atividades implementadas na região central da nossa capital. O resultado desse trabalho é um ganho social e cultural”, anuncia o secretário de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Márcio Jerry.

TVN, UEMA e Secti

O casarão na Rua da Estrela, onde a TVN ficará, era um grande galpão industrial onde já funcionaram repartições públicas. É dividido em dois blocos longitudinais com três níveis internos. Dos 1.140,00 m² de área, foi disponibilizado para a empresa um dos blocos, com aproximadamente 495 m², em dois níveis.

O restante do espaço será utilizado pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), que instalará, no local, atividades de pós-graduação na área de Ciência da Computação.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles, explica que a ideia central do espaço é inspirada no conceito Hélice Tríplice, baseado na perspectiva de unir, em um só local, empresa, neste caso representada pela TVN; universidade, pela UEMA; e o Estado, pela Secti, o setor público estadual voltado para a área de ciência, tecnologia e inovação. “Essa é uma proposta já adotada em espaços de ciência e tecnologia em todo o mundo”, explica o secretário.

TVN no Centro Histórico

A TVN está investindo R$ 2,5 milhões na revitalização do seu espaço no prédio da Rua da Estrela. Ao entrar em funcionamento, terá 70 funcionários trabalhando e cerca de 200 clientes por dia. Isso significa mais consumidores transitando no Centro Histórico de São Luís, o que amplia as possibilidades de geração de negócios no entorno, como restaurantes, livrarias, casas de venda de artesanatos, cafés, dentre outros.

Foram realizados os serviços de restauração com a recuperação da cobertura, esquadrias, piso, paredes e fachadas dentre outros elementos arquitetônicos e suas consecutivas instalações.

Entre os ambientes, haverá uma recepção compartilhada entre TVN/UEMA/Secti, com telões e computadores; sala de atendimento, sala de treinamento para 35 pessoas, entre outras divisórias.

Haverá, ainda, uma sala de descompressão que é um ambiente para ser usado nos intervalos entre o período de trabalho estimulando as relações interpessoais entre a equipe.

O P&D será uma sala para a geração de tecnologias na área de telecomunicação, aprimoramento de processos e de desenvolvimento de softwares. Reunirá profissionais de diversos ramos tecnológicos.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias