Fechar
Buscar no Site

“É preciso valorizar o sentimento da autoestima”, afirma Josivaldo JP

Foto: Reprodução

No mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra, celebrado no sábado, 20 de novembro, um dos poucos negros da bancada do Maranhão no Congresso Nacional – composta por 18 deputados federais e três senadores -, o deputado federal Josivaldo JP (Podemos) revela-se um exemplo de superação em uma sociedade onde o preconceito se manifesta de diferentes formas.

“É um fato: tanto pela cor da pele, tanto por outros motivos, como origem, condição socioeconômica, gênero, dentre outros, no dia a dia há preconceito na sociedade”, afirmou o deputado à reportagem do Jornal Pequeno, em Brasília. Na visão do parlamentar eleito pela cidade de Imperatriz, a data comemorada há anos no Brasil tem duas importâncias distintas, mas que se complementam. Serve para reforçar o debate e a luta de combate ao racismo e ao preconceito, e para celebrar a cultura afro-brasileira, e incentivar a autoestima da população negra brasileira.

“As pessoas negras são vítimas de injúria racial e racismo, que são figuras jurídicas distintas. E, ser discriminado pela cor da ele – bem como por quaisquer outras razões – é abominável. Por isso é importante o combate ao racismo”, defendeu. Ele acredita que datas como estas “colocam o assunto mais em evidência, a fim de se discutir tanto políticas públicas quanto fomentar iniciativas da sociedade civil organizada pelo fim dos preconceitos de raça”, sublinhou.

AutoEstima

O debate sobre a “Consciência Negra”, no entanto, tem um lado de celebração, na opinião do deputado. “Ao mesmo tempo, a data também
é importante para celebrar a cultura, as raízes, o orgulho e a capacidade de vencer obstáculos que as pessoas têm”, destacou. “É preciso valorizar o sentimento de autoestima, para que as pessoas se fortaleçam, reconhecendo seu próprio valor”, conclamou o deputado.
“O preconceito existe, mas se tem um povo que mostra que não deve nem precisa abaixar a cabeça, é o povo maranhense”, completou.

Superação

Josivaldo JP – que completará 38 anos 29 de novembro e integra o grupo de jovens parlamentares da atual legislatura da Câmara dos
Deputados – dá como exemplo a sua própria história de luta e conquistas como incentivo aos jovens. “A minha trajetória sempre foi de superação, e sei a importância de mostrar para as pessoas que elas podem realizar os seus sonhos. Que não podem se abater pelos “nãos” que a vida dá”, revelou. “Se eu fosse me imobilizar a cada frase de alguém que duvidava de mim, eu não estaria aqui hoje, dando esta entrevista como deputado federal, e por isso o meu mandato é focado em incentivar trabalho, emprego e renda. Incentivo o empreendedorismo jovem, a educação e a capacitação profissional de todos que querem melhorar a vida”, frisou o deputado, que começou a trabalhar com carteira assinada aos 14 anos, aos 19 se tornou camelô e hoje suas empresas, o Grupo Atacadão JP, empregam mais de 200 pessoas.

Negros no Maranhão

Ao discorrer sobre políticas públicas para a população negra, Josivaldo chama atenção para o Maranhão sob dois fatores: o estado é o segundo mais negro do país, com 74% da população, e é um dos que tem maiores índices de pobreza – 54,9% da população vivem na linha da pobreza. Como morador de Imperatriz, o deputado dá como exemplo a sua própria região. “Das 10 cidades com maior PIB per capita do Maranhão, 8 são da região Sul”, citou. “Ou seja, a região não é “pobre”, ela é desigual. No Maranhão todo, a desigualdade impera, então precisamos de melhor distribuição de renda. É preciso políticas públicas para gerar e aumentar a renda da população. Enquanto isso
não ocorre, como deputado federal, preciso estar atento e sensível às necessidades das pessoas. Às vezes a maior delas é simplesmente matar a fome. Por isso priorizo matérias de cunho social”, acrescentou.

(Gil Maranhão com informações da Assessoria)

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias