Fechar
Buscar no Site

Depois de várias execuções, até de guardas municipais, Polícia Civil prende Cel Ferreira, acusado de chefiar grupo de extermínio em Viana

Coronel Ferreira (fardado), acusado de chefiar a organização criminosa, e o Cabo Anderson Moureth, seu braço direito.

A Polícia Civil do Maranhão prendeu, na manhã desta quarta-feira, 13, o Tenente Coronel Antônio José Ferreira, conhecido como “Coronel Ferreira”, acusado de chefiar uma organização criminosa, especializada em extermínios e assaltos, que agia há alguns anos na região de Viana, Matinha, Penalva e cidades vizinhas. Foi preso, também, o cabo Anderson Moureth Azevedo, apontado como braço direito de Ferreira. Composto por policiais militares e guardas municipais da região, o grupo de extermínio, segundo apurou o blog O INFORMANTE (JP Online), é responsável, também, pela execução de vários guardas municipais, ao longo de dois anos, por ‘queima de arquivo’.

As investigações sobre a organização criminosa iniciaram há cerca de dois anos, ainda com a delegada Nilmar da Gama Rocha, que à época estava como assistente da Delegacia Geral de Polícia, da Secretaria da Segurança Pública. Nilma Gamar intensificou o trabalho e conseguiu prender cerca de 15 integrantes da milícia. No entanto, sofreu um acidente e teve que se aposentar, deixando as investigações em andamento com a SECCOR (Superintendência de Combate à Corrupção), que prosseguiu as apurações; desta feita, direcionadas aos chefes da organização criminosa.

Na manhã de hoje, a SECCOR, finalmente, conseguiu prender o chefe da organização criminosa, o ‘Coronel Ferreira’, e seu braço direito, o cabo Anderson Loureth. Este foi preso em São Luís, enquanto o comandante da milícia foi capturado em Viana e será transferido para a Secretaria da Segurança, em São Luís.

O Tenente Coronel Antônio José Ferreira foi comandante do Destacamento de Viana até o ano de 2015.

Há informações, não confirmadas por O INFORMANTE, de que o grupo estaria planejando uma nova execução, além das várias que fez ao longo dos anos, incluindo o assassinato de alguns guardas municipais. Estes foram mortos quando as investigações da delegada Nilmar vieram à tona. Na iminência do desbaratamento da quadrilha, diante da pressão e até prisão de guardas, a organização criminosa decidiu executar alguns deles. Os crimes tiveram grande repercussão na Baixada Ocidental Maranhense.

Uma nova informação dá conta de que a prisão do ‘Coronel Ferreira’, em Viana, foi feita com apoio do comandante e do subcomandante  do CME – Comando de Missão Especial -, em cumprimento a mandado judicial. Em São Luís, a prisão do cabo Anderson Moureth foi feita pela Polícia Civil.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias