Fechar
Buscar no Site

Cresce em quase 10% o número de empresas abertas no MA em 4 anos

Empresa Fácil facilita abertura de novos empreendimentos

Dados da Junta Comercial do Maranhão (Jucema) mostram que aumentou em 9,5% o número de empresas abertas no Maranhão, de 2015 a 2018, em relação ao período de 2011 a 2014.

Apesar da crise que assola o Brasil, no governo de Flávio Dino foram abertas 110.827 empresas entre janeiro de 2015 e outubro de 2018. Já entre janeiro de 2011 e outubro de 2014, 101.272 empresas foram abertas.

A redução de impostos a partir de 2015 para micro e pequenas empresas é apontada como principal fator para esse desempenho.

O Maranhão cortou a carga tributária dessas empresas e ampliou o limite para entrar no Simples. Trata-se de um regime tributário simplificado mais vantajoso. Com isso, os negócios recebem impulso.

Além disso, a desburocratização estimulou a chegada de novos empreendedores. Hoje, mais de 280 mil empresas estão ligadas à RedeSim, o que facilita os negócios, poupa dinheiro e economiza tempo.

O Maranhão é destaque nacional nesse campo: todas as 217 cidades estão integradas à plataforma da RedeSim.

“Essa política de simplificação e integração dos processos de registro e legalização de empresas é imprescindível para estimular a formalização dos negócios”, diz o presidente da Jucema, Sérgio Sombra.

Com o Jucema Digital, os serviços para os empresários também ficaram muito mais rápidos. O sistema permite que todos os procedimentos executados pela Junta Comercial sejam feitos online.

O ambiente 100% online estará incorporado ao sistema Empresa Fácil e permite que os procedimentos como a formalização de um negócio possam ser feitos de casa, do escritório ou de qualquer outro lugar.

Com o Jucema Digital, os serviços ficaram até 240 vezes mais rápido. O que era feito em 90 dias passou a ficar pronto em 9 horas, por exemplo.

Os serviços da Jucema Digital podem ser acessados no endereço http://www.jucema.ma.gov.br/

Além de estimula as micro e pequenas empresas, o Governo do Maranhão tem conseguido atrair grandes empreendimentos, que também geram muitos empregos e renda.

Entre eles, por exemplo, estão a retomada da pelotização da Vale, o Parque Eólico da Ômega, a ampliação da Suzano e a expansão da Eneva. No caso da Suzano, que já fazia celulose, houve a entrada no segmento de papel. E também houve a instalação de outra empresa junto à companhia, a Peróxido do Brasil.

A Ômega representou a entrada do Maranhão no setor de energia eólica, movida a vento. O Parque foi erguido em Paulino Neves, ajudando a desenvolver a região. Já a retomada da pelotização da Vale é um impulso a mais para a economia, já que a usina estava parada havia anos.

São todos grandes investimentos privados que chegaram ao Maranhão atraídos pelo bom ambiente de negócios que vem sendo consolidado desde 2015.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias