Fechar
Buscar no Site

Collor, que confiscou poupança dos brasileiros, anuncia candidatura a presidente

Fernando Collor aposta na falta de memória dos brasileiros

 

O senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL), 68 anos, anunciou nesta sexta (19), que pretende se candidatar novamente à Presidência da República nas eleições gerais deste ano.

“Digo a vocês que este é um dos momentos mais importantes da minha vida pessoal. Hoje, a minha decisão está tomada: sou, sim, pré-candidato à presidência da República”, afirmou o senador, que apesar de ser natural do Rio, fez carreira política em Alagoas. O anúncio foi feito num evento na cidade de Arapiraca, no interior alagoano, com a prefeita, Célia Rocha (PTB).

Apelidado de ‘caçador de marajás’, Collor venceu em 1989 a primeira eleição direta após a redemocratização do país, derrotando vários candidatos, entre eles Leonel Brizola (PDT), Ulysses Guimarães (PMDB) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com quem disputou o segundo turno.

Collor parece apostar na falta de memória dos brasileiros. Ele comandou o país entre 1990 e 1992. Nesse período, idealizou o Plano Collor, que confiscou a poupança de milhões de brasileiros. Depois, sofreu processo de impeachment, por suspeita de corrupção. Renunciou em 19 de dezembro de 1992, deixando o cargo para seu vice, Itamar Franco. Ficou inelegível por 8 anos. Em 2006, elegeu-se senador por Alagoas. Foi reeleito senador em 2014. Nesse ínterim, perdeu duas eleições para governador de Alagoas, em 2002 e 2006.

 

 

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias