Fechar
Buscar no Site

Cientistas divulgam manifesto a favor do Acordo para uso comercial da Base de Alcântara

(Foto: Reprodução)

Integrantes da comunidade acadêmica do Maranhão divulgaram, nesta quarta-feira (11), um manifesto público favorável à aprovação do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) firmado entre o Brasil e os Estados Unidos, que atualmente tramita no Congresso Nacional.

No documento, reitores e outros nomes da Academia registram apoio ao desenvolvimento da política aeroespacial brasileira e à nova possibilidade de utilização comercial do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

No último dia 05/06 o plenário da Câmara aprovou o regime de urgência para tramitação do AST. Com isso, o texto fica pronto para ser discutido e votado pelos deputados.

De acordo com os signatários da carta pública, o AST aponta condições de elevar o papel do Brasil no contexto global, a partir de uma “inserção soberana do Brasil, reparando pendências sociais com as comunidades quilombolas e assegurando investimentos permanentes em políticas públicas”.

Nele, os docentes ainda apontam o protagonismo do Estado na criação de cursos como de Engenharia Aeroespacial na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e mestrado na área em outras instituições e a possibilidade de formação de obra qualificada para atuar na Base alcantarense.

Segundo o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA), a manifestação corrobora a importância do projeto.

“Esta é mais uma demonstração do alcance do Acordo e dos benefícios que o desenvolvimento da ciência e da tecnologia poderá trazer à cidade de Alcântara, ao Maranhão e a todo o Brasil”, comentou.

O texto foi assinado pelos reitores da UFMA, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Instituto Federal do Maranhão (IFMA), Universidade Estadual da Região Tocantina (UemaSul), Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) e pelo Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovações (SECTI) do Maranhão, David Telles.

 

(Blog do George Marques)

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias