Fechar
Buscar no Site

Aumento de imposto sobre cilindros de oxigênio partiu do Ministério da Saúde

Foto: Reprodução

Semanas antes do colapso no sistema de saúde do Amazonas, o governo elevou o imposto de importação sobre os cilindros de oxigênio. A decisão partiu do Ministério da Saúde, revelam documentos internos obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação. Foi a pasta que excluiu os cilindros da lista de produtos que deveriam continuar a ter alíquota zero.

Ao mesmo tempo, o ministério pediu a manutenção do benefício para a importação medicamentos comprovadamente sem eficácia contra a Covid-19, como a cloroquina. Ontem, a pasta afirmou que a falta de cilindros é o principal “gargalo” para atender hospitais do interior e da capital

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pediu para a população usar máscara de proteção. “Na época da Copa do Mundo, a nação se une, se chama Pátria de Chuteira. Agora é Pátria de Máscara.”

Pela manhã, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), debateu a crise com governadores. Eles querem a imposição de uma meta de vacinação diária no país, de um a dois milhões de pessoas imunizadas. Também discutiram a necessidade de isolamento e restrições nas próximas semanas. As reivindicações serão levadas ao comitê criado pelo governo federal. (Essencial – O Globo)

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias