Fechar
Buscar no Site

Suspeito de matar Diogo se apresenta na SSP e tia nega que ele tenha cometido o homicídio

Perícia conclui que veículos Argo são diferentes, apesar da placa idêntica, o que inocenta Ayrton Pestana

Suspeito de matar Diogo se apresenta na SSP e tia do suspeito nega que sobrinho tenha cometido o homicídio

Kátia Campos, tia do jovem Ayrton Campos Pestana, apontado pela Secretaria da Segurança Pública como suspeito de ter assassinado Diogo Campos, 41 anos, sobrinho do ex-presidente José Sarney, na manhã desta terça-feira, 16, na Lagoa da Jansen, procurou o blog do jornalista Gilberto Leda, e negou que o sobrinho tenha cometido o homicídio.

Segundo divulgou Leda, Kátia procurou o blog pelo Instagram e afirmou que o o sobrinho está se apresentando á Polícia (Superintendência de Homicídios), para prestar depoimento. Ela garante que “será esclarecido tudo isso através das devidas perícias”. Diogo Campos foi morto com um tiro no pescoço, próximo ao antigo bar Por Acaso, após discutir com um homem num Fiat Argo vermelho. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, era Ayrton quem estaria no veículo.

Acompanhado de advogado, Ayrton Campos se apresentou agora à noite na Superintendência de Homicídio, da Secretaria da Segurança Pública. Até agora, ele é apontado pela SSP como suspeito de ter assassinado o publicitário Diogo Adriano Costa Campos, sobrinho do ex-presidente José Sarney, no final da manhã, em frente ao antigo bar Por Acaso, na Lagoa da Jansen.

O crime aconteceu durante uma discussão no trânsito com Diogo, que dirigia um veículo Kwid, da Renault.

Diogo, residente na Rua Frei Antônio, Edifício São Gabriel, na Lagoa da Jansen, foi assassinado às 11h37, em frente ao antigo bar Por Acaso, ao discutir com o condutor do Argo após uma colisão. A polícia chegou ao suspeito depois de analisar as imagens de uma das câmeras de videomonitoramento instaladas pela SSP justamente no local do crime. Por meio das imagens, foi possível identificar o veículo, a placa e identificar o dono do carro.

O publicitário dirigia o Kwid placas PTB-2770, cor branca. Segundo informações, a batida aconteceu no momento que ele saia do seu prédio. Os dois seguiram discutindo de dentro dos veículos mesmo e, já em frente ao Por Acaso, desceram e travaram a discussão que resultou no assassinato,

Diogo Sarney foi funcionário da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), onde permaneceu no setor de Comunicação Social até o ano de 2016.

Depois de efetuar um único disparo contra a vítima, na região do pescoço, em meio a uma discussão devido ao abalroamento dos dois carros, o autor do crime fugiu.

Segundo a SSP, o suspeito está sendo interrogado agora n Superintendência de Homicídios (SHPP), assistido tecnicamente por um advogado. “Após a lavratura do termo, teremos a posição oficial da SHPP”, disse fonte da SSP a O INFORMANTE.

O conteúdo d'O INFORMANTE é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

mais / Notícias